É possível que se quebrem o coração? Clinicamente podese

Uma mulher dos Estados Unidos sofreu desta condição clínica que imita as dores e sensações próprias de um ataque cardíaco após uma morte de alguém querido.

O caso estava claro. Joanie Simpson, de 62 anos, levantou-se uma manhã com uma terrível dor nas costas, o qual passou para o peito, antes de cair desplomada. Em apenas 20 minutos estava em um hospital de Washington, a ponto de ser levada de helicóptero até Houston. Lá estava à espera de um equipamento médico especializado para reservas, mas quando chegou, e depois de passar por uma série de testes deram-se conta de que não tinha nada e que suas artérias não estavam obstruídas. Havia sofrido mais o que se conhece como cardiomiopatia de Takotsubo ou síndrome do coração partido.
Isso implica que a pessoa que o padece pode chegar a imitar os sintomas próprios de um ataque cardíaco, mas sem chegar a tal gravidade. Entre eles, uma aparição repentina de insuficiência cardíaca e dor torácica aguda, como o que tinha sofrido com a mulher. Este tipo de situações acontecem quando teve uma perda trágica recentemente, como a morte de um companheiro ou de um filho. No caso dela, foi a morte de sua cachorrinha Meha, um Yorkshire Terrier.
O caso foi recolhido nesta semana passada na revista New England Journal of Medicine, para chamar a atenção para o efeito que têm os animais domésticos, sobre a saúde das pessoas. Neste caso, a dor que sentiu a senhora Simpson foi tão forte que a possível perda de um ente querido: “As crianças já são mais velhos e vivem fora de casa, assim que ela era nossa pequena. Foi muito difícil vê-la morrer depois de meses doente, mais ainda quando há mais coisas por que já estávamos preocupados. Apesar do ocorrido, com todo o amor e companhia que lhe dão os animais de estimação, continuarei tendo em minha vida”, disse a mulher.
Fonte: Science Alert | Washington Post
Imagem: Pixabay
Tags: animais, ataque cardíaco, animais e cão.