Quais são as substâncias mais nocivas produzidas pelo fumo de um incêndio?

A madeira, ao queimar-se lança para a atmosfera cerca de compostos químicos altamente cancerígenos chamados PAH

As consequências devastadoras de um incêndio florestal, não se acabam quando o fogo se apaga, já que se prolongam na saúde humana. Até à data não existiam muitos estudos científicos sobre os efeitos na saúde humana das substâncias poluentes que contém o fumo de um incêndio, mas, agora, acaba de ser publicado um realizado por pesquisadores do U. S. National Institute for Occupational Safety and Health.
Segundo explica o relatório, o fumo que gera a madeira, ao queimar é uma mistura de monóxido de carbono, cinzas alcalóides e partículas de carbono orgânico. E todos esses elementos coincidem em conter hidrocarbonetos poliaromáticos esboço, PAH, por suas siglas em inglês.
Com esse nome se conhece a um grupo de uma centena de compostos químicos que são gerados durante a queima de madeira, carvão e petróleo. Os PAH, que penetram no organismo através dos pulmões, têm a particularidade de que são substâncias altamente cancerígenas. E não apenas isso, já que estudos realizados com ratos mostraram que também podem afetar a fertilidade e até mesmo danificar o DNA.
O estudo também revela que os bombeiros e membros de brigadas florestais apresentam uma percentagem mais elevada de casos de câncer, que são atribuídas à exposição habitual a estes compostos. Mas o risco afeta qualquer pessoa que viva em uma área onde tenha ocorrido um incêndio florestal. O problema é ainda mais grave se se tiver em conta que o vento transporta os PAH a muitos quilômetros de distância.
Felizmente, a chuva costuma limpar a atmosfera dessas substâncias. Mas no caso de que não chova, podem manter-se no ar em elevadas concentrações, durante semanas.