Procuram em Israel, um turista afetado por uma estranha doença: a síndrome de Jerusalém

Aqueles que sofrem, são vítimas de um delírio que lhes faz acreditar em personagens Da Bíblia

Oliver McAfee é um turista irlandês de 29 anos que leva de sete semanas desaparecido no deserto de Negev, em Israel. Até o momento, as únicas pistas que se têm sobre o seu paradeiro são as páginas arrancadas Da Bíblia, que o homem foi deixando sujeitos com pedras em diferentes lugares desse deserto. Esses achados fizeram suspeitar às autoridades que o jovem possa ter um estranho tipo de delírio conhecido como síndrome de Jerusalém.
Foi no ano 2000, quando foi cunhado pela primeira vez essa expressão, em um estudo publicado no British Medical Journal. O relatório referia-se a um curioso transtorno que afeta alguns viajantes que visitavam Jerusalém, e que começou a comportar-se como os conhecidos personagens da tradição religiosa, especialmente Da Bíblia. A síndrome afeta igualmente a judeus, cristãos e muçulmanos. Os pacientes, além disso, tinham visões místicas e alguns afirmavam possuir poderes milagrosos.
Embora este fenômeno já se conhecia desde a década de 1930, quando um psiquiatra chamado Heinz Herman se referiu a ele com o nome de febre de Jerusalém. Estudos posteriores revelaram que este tipo de distúrbio ocorre também em outros lugares considerados sagrados, como A Meca.
Mas, qual é a causa? Existe bastante controvérsia a respeito. Há especialistas que sugerem que aqueles que sofrem e já sofreram anteriormente algum tipo de transtorno psicótico. Embora outros estudos referem casos de pacientes que não apresentaram nenhum sintoma psicótico antes de sua chegada a Jerusalém. Seja como for, o certo é que, segundo o Ministério da Saúde de Israel, em apenas uma década, foram registrados cerca de 1.200 casos de pessoas afetadas por esta curiosa forma de delírio.