O risco de que o sexo provocar morte súbita é muito baixo

Uma investigação revela que é a causa em apenas 0,7% de todos os casos de morte por parada cardíaca súbita

A morte súbita é a aparição repentina e inesperada de uma parada cardíaca em uma pessoa que aparentemente está saudável e em bom estado. Sua principal causa é uma arritmia cardíaca chamada fibrilação ventricular, que faz com que o coração perde a sua capacidade de contrair-se de forma organizada, por isso que deixa de bater. Entre as causas que podem produzir está a realização de grandes esforços, e, de fato, são bem conhecidos os casos trágicos que ocorreram entre os atletas. Por esse motivo, muita gente se pergunta se esta síndrome pode ocorrer, também, ao manter relações sexuais.
E a resposta é que sim, embora o risco de isso acontecer é realmente baixo. Assim, deduz-se os resultados de um estudo realizado por especialistas da Heart Rhythm Center at the Cedars-Sinai Heart Institute, em Los Angeles. Os autores do relatório analisaram 4.500 casos de pacientes que sofreram morte súbita e descobriram que apenas 0,7% (ou seja, cerca de 34 casos) tinha acontecido enquanto mantinham relações sexuais ou nas duas horas seguintes.
Além disso, 94% dos casos lhes tinham acontecido aos homens, a maioria dos quais encontravam-se na faixa de idade compreendida entre os trinta e os sessenta anos. Pode-se estimar, portanto, que, de cada cem casos de morte súbita entre homens, um está vinculado à prática do sexo, enquanto que a incidência entre as mulheres é de uma em cada mil. De todas as formas, os pesquisadores também detectaram que na maioria dos casos, embora o sexo tinha sido o estopim, existiam cardiopatias prévias ou a pessoas havia consumido substâncias tóxicas.