Até 57% dos atletas se dopa e o pior é que não conseguimos detectar

Uma pesquisa realizada no Mundial de Atletismo de 2011 e os Jogos Panarábicos mostra a enorme taxa de doping que não é detectado

Sabemos que existe o problema, mas não conseguimos detectá-lo e muito menos atajarlo por completo. Falamos do doping, uma das maiores lacras do desporto profissional, além disso, podem ter consequências sobre a saúde dos atletas.
De acordo com uma pesquisa realizada entre 2167 atletas em dois eventos esportivos diferentes, o número de profissionais que reconheceu ter se dopado no último ano, veio até o surpreendente 43,6%, no caso de atleta entrevistados em l 13º Mundial de Atletismo, realizado na Coreia do Sul em 2011. Por outro lado, o 57,1% dos concorrentes nos Jogos Panarábicos que tiveram lugar no Qatar, em dezembro de 2011 asseguraram ter-se dopado durante os últimos doze meses.
Além disso, a prevalência do uso de suplementos foi de 70% no caso dos atletas que participaram dos jogos Panarábicos. O estudo foi publicado recentemente na revista Sports Medicine e foi realizado por pesquisadores de diferentes nacionalidades.
Os dados são especialmente surpreendentes, que contrastam com a taxa de detecção de doping através de diferentes testes. Assim, os autores destacam que, através da análise de urina e de sangue, a taxa de doping detectada oscila entre 1 e 2% dos atletas. Esta cifra se eleva até o dia 14% quando se utiliza o método do “passaporte biológico”, longe de os dados oferecidos por esta pesquisa.
De fato, os autores do artigo, no seu n.º de conclusões, põem de manifesto que seus resultados apontam como o doping está amplamente difundido entre os atletas de elite, apesar de os testes biológicos que ocorrem atualmente, o que coloca a necessidade de desenvolver métodos mais precisos para dar caça aos atletas fraudes.